Curtir no Facebook

facebook

domingo, 25 de novembro de 2012

Continuar

Quantas vezes fiquei paralisado por causa do medo, por não saber o que fazer. Parado, penso em voltar no tempo, mas, não posso. Perdi o passado, perdi pessoas que me protegiam, que me davam confiança.

Não dá para voltar para o passado e, paralisado, parado no presente, o medo e a angústia aumentam.

Mas ainda posso escolher: Ficar parado (com medo e angustiado) ou seguir em frente.

25 de Novembro de 2012.

domingo, 18 de novembro de 2012

Moinho


Quem não gosta de garapa (para alguns, caldo de cana)? Na minha infância e juventude, na época que morávamos na chácara, sempre colhíamos cana e moíamos no engenho (moenda ou moinho para alguns) do nosso vizinho.

Dava um certo medo de operar o engenho, de ele prender nossos dedos e estraçalhá-los, mas, com o cuidado necessário, a garapa era deliciosa e ainda sobrava para fazer o melado.

Tem gente que compara o mundo como um moinho e talvez ele seja mesmo. Estraçalha nossos sonhos, nossa vida, deixa só o bagaço. Acho que tudo é transformação, mesmo que sejamos pegos nesse engenho, ainda podemos escolher se somos o bagaço ou se nos tornamos néctar.

18 de Novembro de 2012.

domingo, 11 de novembro de 2012

Transformação


Todo mundo reclama dos primeiros dias de academia. Há sempre um pouco de dor. Seus músculos estão desenvolvendo, seus membros se fortalecendo, nervos se alongando. Esta dor é um pequeno preço para o que estar por vir: um corpo mais saudável.

Por isso, apesar não gostar de ouvir, entendo quando dizem que o amor dói. É lógico, ele nos transforma!

11 de Novembro de 2012.

domingo, 4 de novembro de 2012

Poder


A nossa forma imperfeita de ser faz com que busquemos, mesmo que inconscientemente, o poder. Pode ser através de um cargo elevado, ostentação de nossos bens, quantificação de nosso conhecimento e a sua transmissão.

Sempre uma conquista. Através de muito trabalho, muito estudo.

Aprendi que o maior poder que alguém pode ter é o amor. Este, ao contrário do que muita gente imagina, não pode ser conquistado ou comprado. A única maneira de alcançá-lo é se entregar.

04 de novembro de 2012.