Curtir no Facebook

facebook

sábado, 29 de novembro de 2008

A volta


Em nossas histórias no “Berelando...” falamos sobre várias de nossas viagens: os imprevistos, as coisas engraçadas, a diversão e até nossos conflitos. Engraçado, sempre que falamos de nossas viagens nunca comentamos ao final, como o retorno à nossa casa é tão bom e prazeroso quanto foi a viagem também.

Você pode ter ficado nos melhores resorts, com lençóis limpos e esticados todas as manhãs, ar condicionado, tvs com mil canais e outras tantas coisas para agradar ou dormir em uma barraca de camping, com areia e umidade, a sensação de voltar à nossa casa, dormir em nossa cama, com nossos lençóis e cobertores não tem coisa igual. Você não acha?

Sabe, às vezes eu acho que na vida acontece algo muito parecido. Muitas vezes corremos em busca de sucesso, de reconhecimento, de um lugar melhor para viver. às vezes alcançamos outras não, porém, mais cedo ou mais tarde, nos bate aquela nostalgia, às vezes beira a depressão. Talvez, nesse momento, seja a hora de retornar, de lembrar das coisas simples que vivemos e, sempre que possível, revivê-las novamente.

29 de novembro de 2008.

sábado, 22 de novembro de 2008

Beleza





Em uma coisa nós pecávamos nas saudosas edições do "Berelando...". Por algumas limitações da época, falta de recursos e equipamentos, o acabamento do periódico ficava aquém do que muitos desejavam. Na verdade (não sei se isso é bom ou ruim), nos preocupávamos mais com o conteúdo e com a forma que eram redigidos os textos do que propriamente com o lado estético do jornalzinho.

Bem, acho que isso realmente não fez muita diferença, simples e sem uma aparência sofisticada, o "Berelando..." fez muito mais sucesso do que podíamos esperar.

Voltando a realidade da vida, é comum vermos pessoas que se preocupam exageradamente com a aparência, preferindo à beleza, à sofisticação, em detrimento de outras qualidades que são também muito importantes e que, sem estas, não há beleza ou inteligência que as salvem.

Outro dia, uma amiga me mandou uma citação de autor desconhecido que dizia:

"Há pessoas que querem ser bonitas para chamar atenção, outras desejam a inteligência para serem admiradas... Mas há algumas que procuram cultivar a alma e os sentimentos; essas alcançam o carinho de todos, porque além de belas e inteligentes tornam-se realmente pessoas".

22 de novembro de 2008.

sábado, 15 de novembro de 2008

Desejo


Na época do "Berelando..." eu desejava somente divertir e alegrar meus amigos e, nas sete edições em que estive à frente, acho que consegui isto.


Sempre tive a inspiração para escrever, a vontade de fazê-lo, a disposição para usar o meu tempo nesta tarefa. Consegui os recursos e as ferramentas para produzi-lo. No fim, recebi em troca a alegria de ver meu projeto pronto e meus amigos felizes.


Acho que a vida é assim, o Universo sempre conspira para realizar nossos desejos, cabe a nós desejarmos a coisa certa.


15 de novembro de 2008.

sábado, 8 de novembro de 2008

Mudanças


O mundo mudou muito desde a primeira edição do “Berelando...” em outubro de 2001.

Após a agitação dos anos 60 e os anos de chumbo das décadas de 70 e 80, os anos 90 e o início do século 21 foram um tanto desanimadores aqui nas Américas, ditados pelo conservadorismo . Por receio, às vezes através da repressão, vivíamos numa América de “direita” ou, para usar um termo moderno, “neoliberal”. Vivíamos resignados, conformados.

Em 2002, quando o “Berelando...” não circulava mais, foi eleito para presidente do Brasil um ex-operário, retirante nordestino e sem formação acadêmica; em 2005, em um país ainda mais pobre e sofrido, a Bolívia, um candidato de origem indígena (etnia que há séculos vive à margem das sociedades americanas) é eleito presidente; em 2006 uma ex-médica que sofreu perseguição política na época dos anos de chumbo, foi nomeada presidente do Chile e seria a primeira mulher a ocupar este cargo em seu país; em 2007 Cristina Kirchner foi a segunda mulher a se eleger presidenta da Argentina; em 2008, no Paraguai, após 60 anos de domínio do partido conservador (Colorado), um órfão da repressão e ex-bispo católico é eleito presidente.

O povo destes países viveram sobre forte tensão, medo, incertezas, advindos de governos repressores e ditatoriais ou conservadores, mudaram o jeito de pensar e ousaram na escolha de seus líderes.

Esta semana, um homem de origem negra, ganha democraticamente o direito de assumir o poder da nação mais poderosa e conservadora deste planeta. Acho que os americanos também cansaram de sentir medo e trocaram este sentimento por um melhor, um que realmente faz a vida evoluir, que nos diz que há luz no fim do túnel mesmo que o céu esteja escuro, um que nos liberta do medo...

Este sentimento se chama ESPERANÇA.

8 de novembro 2008.

sábado, 1 de novembro de 2008

Perseverança


Na publicação “Entusiasmo” escrevi sobre perseverança e, apesar dos belos comentários dos leitores, tive receio que confundissem perseverança com teimosia.

No milagre cotidiano, há batalhas que se prolongam além do necessário. Elas minam nossas forças, enfraquecem nosso entusiasmo e, como em toda batalha muito longa, não haverá vencedor.

É por isso que existem tréguas. Para parar a luta por um tempo, repensar a estratégia, estudar nossas falhas, recuperar as energias, porém, perseverar em nosso desejo de ser feliz. Esperar o melhor momento para reiniciar a batalha, não por teimosia e sim por sentir que é hora de continuar.

01 de novembro de 2008.