Curtir no Facebook

facebook

domingo, 27 de setembro de 2015

Ver

E meus óculos continuam rendendo história. Como as lentes são feitas para melhorar minha visão de perto, quando estou a ler e preciso olhar para frente, eu perco o foco, fica tudo distorcido e causa muito desconforto.

Para diminuir o desconforto, acostumei a deixar meus óculos, que tem lentes pequenas, na ponta do nariz, assim, consigo ler meus livros, ver as novidades no celular e, quando preciso olhar para frente, olho por cima dele. Fico parecendo um vovozinho, mas, funciona.

Depois de velho aprendi a ver.

Quantos de nós nascemos com a visão perfeita, mas, não enxergamos a realidade?
É preciso aprender a ver.

27 de Setembro de 2014.

domingo, 20 de setembro de 2015

Idoso

Li em algum lugar que pessoas idosas ficam aliviadas e até alegres quando sofrem pequenos acidentes ou quando são acometidos por uma doença passageira. Por que não se entristecem, não se abatem?

Nós, no auge da nossa energia e beleza, ficamos de cama por causa de resfriados. Nós abatemos e ficamos deprimidos por qualquer coisa negativa que nos acontece. Desistimos tão facilmente no primeiro obstáculo que aparece.

O segredo dos velhinhos se sentirem aliviados e alegres nas pequenas adversidades é que, se perderam uma batalha, significam que ainda estão ganhando a guerra. Estão vivos!

20 de Setembro de 2015.

domingo, 13 de setembro de 2015

Óculos II

E não tem nem um mês que adquiri óculos e já o esqueço por ai. O problema que consigo ler quase tudo sem precisar dele. As letras ficam menores, tenho que apertar mais os olhos, fixar melhor a visão e, se a claridade for boa e a letra não for minúscula, deixa os óculos prá lá.

Às vezes a gente pensa ser forte o bastante para seguir em frente sem precisar de fé e esperança, basta nossa coragem. Porém, o caminho fica difícil, falta luz. As pontes parecem estreitas demais para o nosso passo, e armadilhas podem estar escondidas.

Como os óculos tornam minha leitura melhor, a fé e a esperança torna nossa caminhada mais tranquila, mais fácil. O caminho fica mais claro, a ponte mais larga, basta atravessar.

13 de Setembro de 2015.

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Prótese

Dias frios me fazem lembrar que tenho pinos ligando meu fêmur ao quadril, implantados há quase seis anos, depois de um acidente no qual fraturei a cabeça do fêmur. Levo uma vida quase normal até virar o tempo e o local do implante começar a doer. No frio, lembro que aquele pino não faz parte de mim, é uma extensão artificial que liga minha perna ao resto corpo.

A tecnologia e a medicina avançaram tanto que já há próteses que substituem partes de nossos corpos tão bem e funcional que esquecemos que não nascemos com elas.

Nos dias de hoje, com tanta informação e tanto meio de comunicação (porém, com poucos e ricos donos!) que agem como próteses, substituindo nosso cérebro e, pior, nosso sistema nervoso central. TVs, rádios, jornais, revistas e blogs pensando por nós e fazendo-nos reagir como e quando querem.

Quando o frio da alma irá nos avisar o que é certo?

Você nasceu com um cérebro: pense. O sistema nervoso central é seu: aja da forma certa.

07 de Setembro de 2015.