Curtir no Facebook

facebook

sábado, 7 de junho de 2008

Ansiedade


Algumas vezes sentíamos uma ansiedade exagerada em concluir o “Berelando...”. Percebíamos a proximidade da data-limite para a conclusão e não havíamos nem decidido a pauta. Apesar da ansiedade ser leve, ela era totalmente desnecessária, porque, na hora certa, o periódico estava fechado (é lógico que tinha alguns erros, mas, como iríamos fazer piada em nossas erratas se não os cometêssemos!).

Hoje em dia a ansiedade é o grande problema do planeta. São tantas coisas que acontecem, tanto por fazer, tanto por preocuparmos que chegamos ao colapso. Também sou assim, mas, aprendi que, como no “Berelando...”, no final as coisas se resolvem. Se ficarmos somente vivendo a ansiedade da busca, do controle, não conseguiremos chegar ao fim, à conclusão, ao término. Nos sobram as unhas roídas, as olheiras das noites mal dormidas, nossos problemas intestinais e o pior, a sensação de vazio.

Deixemos que a vida flua e que nessa fluidez, encontremos o caminho certo, a decisão certa, o momento exato. Coisas que são impossíveis de encontrar no turbilhão que é a ansiedade.

07 de junho de 2008.

4 comentários:

Rubens Alves Jr disse...

acho que a ansiedade gera motivação e valoriza nossas metas.... fico preocupado tb em deixar as coisas se resolverem... algumas sim. outras temso que pegar o leme e resolver!

adna disse...

"A luta ansiosa pela felicidade é o que dá infelicidade a muita gente."
Como cães numa roda, pássaros numa gaiola, ou esquilos acorrentados, os homens ambiciosos ainda sobem e sobem, com grande labor, e incessante ansiedade, mas nunca alcançam o topo.
beijo grande

veronica disse...

Sou a ansiedade em pessoa, sei bem todos os sintomas e males que ela causa e sei também que não é vai fácil livra-se desse mal mais não é impossível.
Seguem algumas dicas que considero importante:
Procure ocupar-se e manter seus pensamentos no momento presente, não se "pré-ocupando" com o que poderá ou não acontecer.
Pare com a necessidade de querer ter controle sobre tudo, você pode não ter controle sob o amanhã, mas você poderá ter controle sob seus comportamentos hoje.
Lembre-se sempre da sábia Oração da Serenidade adotada pelos AA
"Que Deus me dê serenidade para aceitar as coisas que
não posso mudar, coragem para mudar as que posso
e sabedoria para distinguir umas das outras"

Beijos e obrigado por abordar esse assunto importante e que atinge a muita gente.

Raquel Swartoski disse...

Tudo que escapa do nosso controle faz nos confrontar com nossos temores surgindo à ansiedade, neste encontro da nossa própria identidade às vezes até inconscientemente nos perguntamos: Será que conseguirei? Será que dará certo? Será que dará tempo? Será que todos irão entender? Será, será, será? Quantas dúvidas somatizadas! A verdade é que no fundo, no fundo, a maioria de nós, têm é grandes dificuldades em lidar com o que os outros acham, com a mudança, com a experiência de algo novo, se agradaremos a todos, se seremos aprovados, vivendo em constante luta para não magoar as pessoas que nos rodeiam, com a sociedade em nos aceitar, que muitas vezes vamos nos moldando conforme elas querem, já me preocupei muito com isto, hoje eu sei que, se não aceitam meus erros, meus acertos, meu querer, meu tempo, é porque não há respeito, não há troca, não há carinho...tento canalizar esta energia ruim em outros coisas, em pessoas que realmente me amam e querem meu bem.
Mas nem toda ansiedade é ruim, tem algumas que com certeza sentimos falta, do friozinho bom na barriga, chega até nos dar saudades...esta com certeza nos levou a viver intensamente alguma coisa boa que no final nos deixou felizes! Assim como na música Oceano do Djavan: “Amar é um deserto e seus temores... Vida que vai na sela dessas dores... Não sabe voltar...Me dá teu calor... Vem me fazer feliz...Porque eu te amo...Você deságua em mim...E eu oceano...E esqueço que amar...É quase uma dor...”

Bj.

Raquel Swartoski