Curtir no Facebook

facebook

sábado, 2 de janeiro de 2010

Essencial

Há uma passagem de Antoine de Saint-Exupéry que há tempos me persegue: “Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos”. E há tempos também, procuro uma oportunidade de usá-la neste blog.

Hoje, talvez por falta de inspiração e com o tempo meio apertado, acho que tive a grande oportunidade, não só de usá-la mas, de compreendê-la.

Neste Natal, recebi uma linda mensagem. Ao contrário do padrão desejando felicidade, sucesso, paz etc, me foi passado uma pequena lista de presentes que eu poderia oferecer. Presentes que não podemos ver a não ser com o coração, mas, extremamente essenciais para um mundo melhor e a nossa felicidade.

Segue a lista que pretendo cumprir:

Para seu inimigo, perdão. Para um oponente, tolerância. Para um amigo, seu coração. Para um cliente, serviço. Para tudo, caridade. Para toda criança, um exemplo bom.

Feliz 2010.

02 de Janeiro de 2010.

9 comentários:

Anônimo disse...

O essencial sempre foi invisível... Num ano iniciado com tantas tragédias e tão próximas da gente, olho ao redor e vejo que minha família está bem, que a família de meus amigos também estão, só resta agradecer a Deus pelo perdão nos concedido, por poder permanecer neste Mundo, por nos dar chande de sermos melhores... Que possamos perdoar, tolerar, fazer o bem, enfim, sermos pessoas melhores. FELIZ 2010 pra todos !!!

Debora disse...

Grande livro, quase sempre incompreendido justamente por causa da sua simplicidade e sinceridade.
A lista é ótima também, um dos melhores clichês ever. =D

Aione Leão disse...

Realmente invisível...
Também gosto muito desta frase, ela resume bem o q realmente é importante!
A lista é interessante. Mas, confesso, q alguns ítens são difíceis!!!

Aione Leão disse...

ah!(rsrsrsrs)
Um ótimo 2010 para vc tbm!!!

Anônimo disse...

Muitas vezes utilizamos os olhos para ver o que achamos ser essencial.
E o olho é realmente o órgão mais impreciso, mais inconsciente e mais “prejudicial” que temos no corpo. Olhamos para as pessoas, mas não as enxergamos e as julgamos.Pensamos que são todas as coisas que vemos,
mas, na realidade, são um bocado mais que isso!O que é realmente essencial, é invisível aos olhos!
Vivendo, Amando e Aprendendo
Feliz 2010 a todos!!!!

ITAMIR disse...

Muito boa lista,concordo com a colega acima q existem alguns itens muito dificeis, mas nada de desanimar...Feliz 2010!!

Anônimo disse...

Sempre que recebo suas mensagens, me envergonho de não escrever mais vezes em meu blog...Prometi que não iria mais procrastinar algumas coisas, mas o tempo não está ajudando...ele está passando rapidamente, tão rápido, que os olhos realmente não estão vendo, mas o coração vem sentindo...espero que esse ano seja realmente bom, e acho que vai ser, afinal de contas, já começou numa sexta-feira...Penso que isso é um bom sinal. Grande beijo a todos. Deborah Orfali

Walkiria Rodrigues disse...

Gosto muito desta frase, ou melhor, de muitas de Antoine de Saint-Exupéry. Usei esta e outras em meu blog em uma postagem de março de 2008.
Perdão, tolerância, seu coração, serviço, caridade e um bom exemplo: precisa de mais alguma coisa?
Como eu já disse,você é mesmo muito modesto(risos). Se sem inspiração sai uma postagem dessa, eu imagino você inspirado...
Uma Boa Semana para você!!!

ADNA disse...

imagine se estivesse inspirado em menino!!!o essencial realmente e invisivel aos olhos.

Por um lado, ter um inimigo é muito ruim. Perturba nossa paz mental e destrói algumas de nossas coisas boas. Mas, se vemos de outro ângulo, somente um inimigo nos dá a oportunidade de exercer a paciência. Ninguém mais do que ele nos concede a oportunidade para a tolerância. Já que não conhecemos a maioria dos cinco bilhões de seres humanos nesta terra, a maioria das pessoas também não nos dá oportunidade de mostrar tolerância ou paciência. Somente essas pessoas que nós conhecemos e que nos criam problemas é que realmente nos dão uma boa chance de praticar a tolerância e a paciência.

Ser feliz não é ter uma vida perfeita. Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância. Usar as perdas para refinar a paciência. Usar as falhas para esculpir a serenidade. Usar a dor para lapidar o prazer. Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência