Curtir no Facebook

facebook

sábado, 20 de dezembro de 2008

Amizade


Estamos na época de reencontrar os amigos, reviver momentos felizes e de trocar presentes. No último final de semana, na casa de um dos colaboradores do “Berelando...”, participei de um desses encontros.

Aprendi um novo jogo, cuja intenção é a troca de presentes. Este jogo se chamava “Amigo Desapego” e consistia em cada um dos participantes levar um presente, mas, não para ser entregue a um amigo “pré” selecionado ou escolhido. Na hora de entregar (ou melhor escolher) os presentes, era sorteado um nome e este escolheria um presente do amontoado e o desembrulharia, mostrando-o aos demais participantes (inclusive, poderia ser o que ele mesmo comprou), na seqüência, ele sortearia um novo nome e este poderia escolher entre pegar o presente já escolhido e aberto pelo primeiro participante ou um novo embrulhado no “bolo”, caso ele escolha o aberto, a pessoa que o escolheu primeiro deve entregá-lo e escolher um outro dentre os ainda embrulhados, assim se sucedendo até o final, quando o último participante tinha várias opções já reveladas de presentes e um ainda embrulhado para escolher. Por isso a brincadeira se chama “Amigo Desapego”, as pessoas não poderiam se “apegar” ao presente, pois, ele poderia ser trocado até o final da brincadeira.

Confesso que isso para mim foi uma novidade, mas, muito divertida. No final, após muitas escolhas e trocas, restava a felicidade de havermos trocados presentes com pessoas que gostamos de reencontrar.

O “Amigo Desapego” é só uma brincadeira, mas, me fez refletir que devemos nos apegar mesmo é ao sentimento de amizade, de fraternidade e isto é muito melhor do que qualquer presente. Obrigado, Silvio, por me mostrar mais esta lição.

20 de dezembro de 2008.

9 comentários:

Pedro Melo disse...

Oi Neto. Ri muito imaginando a situação nessa brincadeira, se fosse com os meus amigos, ao invés de diversão, seria um grande estresse (risos). Este assunto me fez lembrar da situação que vivo agora... Descobri que sinto ciúmes dos meus melhores amigos e provoquei uma situação super chata por conta desse ciúme. São amigos que quando me dão uma bala, mesmo de brincadeira, como presente, me sinto mais feliz do que se tivesse ganhado algo de valor... Ás vezes, as pessoas se preocupam mais com o objeto do que com a ação ou intenção.

Jaq disse...

Oi Neto...
Faz um tempo que naum apareço por aqui.
Acredito que um dos maiores presente que podemos ganhar das pessoas que gostamos seja mesmo a sua amizade.
Esse é um presente que nao acaba, tem um valor incalculável e trás uma felicidade imensa.
Bjs
Jaq

Renata disse...

Que legal!!
otima ideia pro proximo ano...Amigo desapego.

tem aqueles amigos ocultos que a pessoa ja diz o que quer ganhar e não tem mais aquela supresa,alem da que é o amigo oculto...assim desperta uma fraternidade.
gostei mesmo...obrigada por partilhar essa ideia!

Tenha um otimo natal!

Fabio disse...

Neto

A você e a todos que semanalmente estão aqui, que neste nascimento de Jesus nós renovemos nossos sentimentos de amor, felicidade,amizade e principalmente caridade.E que 2009 estejamos juntos novamente compartilhando as boas idéias deste semanário.

Aquele abraço

Fábio Barros

Valdecir disse...

Nada é mais doloroso do que sentir-se só. Clarisse Lispector escrevia sobre solidão, e ela dizia que a maior de todas é quando se está só de si mesmo. A amizade é uma dádiva sagrada. Amigos concordam ou discordam de nós, apoiam ou rejeitam nossos projetos, aplaudem nossas vitórias, cantam conosco, choram nossas dores. Fazem tudo isso porque nos amam. Estranho pensar em tanta gente que está nos dando suporte, relembrando o quanto importante somos, mesmo que na maior parte do tempo a gente não se sinta assim tão importante. Depois de algum tempo, a amizade começa a provocar em nós uma situação de acomodação. Sabemos que os amigos estão ali ao alcance da mão, sabemos o quanto essas pessoas nos amam, sabemos tantas coisas que as fariam felizes, e de repente nos vemos fazendo tudo ao contrário. Escrevemos pouco, visitamos menos ainda, ligamos ocasionalmente, passamos com pressa no local de trabalho delas, e o pior, passamos jornadas inteiras, semestres inteiros sem dar as caras. E fazemos ainda pior, quando ligamos ou aparecemos é porque estamos precisando de algum favor e sabemos que aquela pessoa jamais se negaria a nos ajudar. E achamos tudo isso normal. E quando recebemos uma ligação desses nossos amigos, ainda temos a cara-de-pau de dizer a ela, "nossa, você sumiu"... Triste esse nosso jeito de ser. Triste essa forma de tratar as amizades. Ainda bem que sempre é tempo de pensar nisso e corrigir as distorções. Ainda é tempo de mostrar desapego a tantas outras coisas que nos afastam de quem não deveríamos nunca nos afastar, os verdadeiros amigos. No nosso ambiente de trabalho, nos cercamos de muitas pessoas, mas elegemos poucas a quem damos o título de amigos. Nas nossas relações, construímos muitas formas de contato com as pessoas, mas as nossas eternas referências são os amigos. Impossível lembrar das situações da infância sem repassar algum amigo que estava alí presente e com o qual dividíamos as brincadeiras. Observava crianças brincando outro dia, vendo como fazem para dividir o mesmo espaço e como fazem para se divertir. E fiquei imaginando o quanto daquela amizade gratuíta iria sobreviver até o futuro, quando forem adultos e quando se lembrarem (caso se lembrem) de momentos como aqueles.

Renata disse...

OI
voltando aqui nesse post pra te dizer que você ganhou um selo! você e seu blog!
Estou te presenteando com o selo Prêmio Dardos! Passa lá no meu blog pra pegar, tá bem?!
BEijo!

ADNA disse...

As abelhas nos dão um grande exemplo de DESAPEGO. Após construírem a colméia, elas abandonam-na. E não a deixam morta, em ruínas, mas viva e repleta de alimento. Todo mel que fabricaram além do que necessitavam é deixado. Batem asas para a próxima morada sem olhar para trás. Num ato incomum, abandonam tudo o que levaram a vida para construir. Simplesmente, o soltam sem preocupação se vai para outro. Deixam o melhor que têm, seja pra quem for - o que é muito diferente de doar o que não tem valor ou dirigir a doação para alguém de nossa preferência.
Se queremos ser livres, parar de sofrer pelo que temos e pelo que não temos, devemos abrigar um único desejo: o de nos transformar. Assim, quando alguém ou algo tem de sair de nossa vida, não alimentamos a ilusão da perda. O sofrimento vem da fixação a algo ou a alguém. O apego embaça o que deveria estar claro: por trás de uma pretensa perda está o ensinamento de que algo melhor para nosso crescimento precisa entrar. Se não abrirmos mão do velho, como pode haver espaço para o novo?" NETO agora é muito engraçado essa brincadeira, imagino as pessoas que gostou do presente escolhido e ter que entregar qdo outro o quizer....gostei muito desse DESAPEGO RISOS, aproveitando e desejando a todos um otimo natal e um ano vindouro com muita paz; e a vc muitas felicidades

ADNA disse...

PREcisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo. Precisa-se de um amigo para se parar de chorar. Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas. Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se viveSem esforço sabemos distinguir nossos amigos hoje te procurei simplesmente para dizer:
Estou feliz porque te amo meu amigo.
És muito importante para mim.
mesmo sabendo que hoje nossa amizade não tem criado mais raizes
mas ainda vou ver muitas raizes se formarem. beijo grande e viva a AMIZADE

Anônimo disse...

Quando a nobreza do silêncio
Sutilmente envolve a força de um gesto,
A mão estendida se ilumina
O coração em balada rítmica,
Distribui fartamente
Luzes energéticas,
Que reequilibram todos os centros de forças.
E lança ao seu redor,
A harmonia e o bem estar
O ser se ilumina, se tranqüiliza
E volve o olhar
Para dentro de si mesmo.
Encontra no seu âmago
A satisfação verdadeira
Daqueles que chegaram ao cume
E tem como lume,
Estender a mão limpa de intenções.

Que o espírito de Natal esteja presente em 2009.

Neto, amo-te! Desejo para vc, tudo de muito feliz, hoje, e sempre!
Diana.