Curtir no Facebook

facebook

sábado, 28 de março de 2009

Repetição



Como já disse em outras publicações deste blog, algumas vezes tenho dificuldades para escrevê-lo e, da mesma maneira, tínhamos problemas para publicar o “Berelando...”, mas, no final, tudo dava certo. Não parávamos nos problemas.

Já repararam que sempre conhecemos alguém que reclama de coisas ruins que se repetem em suas vidas? Vão crescendo, vão envelhecendo, deveriam ganhar mais experiência, porém, volta e meia, tropeçam nas mesmas pedras do caminho.

É, já passei por alguns problemas, em alguns casos, mais de uma vez, mas, o que eu não percebia, era que eu realmente passava pelos problemas, mas, nunca os ultrapassava, nunca dei uma solução definitiva para o problema, por isso ele se repetia.

Aprendi que experiências que se repetem servem para me mostrar uma única lição: me ensinar o que eu insisto em não aprender.

28 de março de 2009.

8 comentários:

Vera disse...

Neto, tenho refletido bastante ultimamente sobre esta questão: Os terapeutas chamam de "padrão repetitivo" esta insistência em não aprender que vc mencionou. As oportunidades se repetem e um grande passo é adquirirmos esta consciência de que precisamos refazer a história de forma diferente, por outro caminho. Sobre envelhecer com sabedoria ou não, é questão de escolha e discernimento. A verdade é que só aprendemos nas repetidas experiências e este é um exercício que exige paciência e perseverança.
Tenha um ótimo domingo!
Beijos

Cira disse...

Veho acompanhando essas postagens e vejo que tenho de aprender mas as vezes me precipito nas situações e com isso aprendo que com os erros que cometemos ao longa na vida só temos que melhorar mas há uma barreira interna em mudar nosso comportamento perante ao novo contudo em relação as consequencias a grande dificuldade nesta mudança.
Saudades e boa semana
BJO

ANDRÉA disse...

Olá, eu de novo,e digo que a mudança dos erros das falas e comportamentos, eu acho que só ocorre quando realmente o sujeito quer, porque do contrario, muitos continuam com os atos e falas falhas, sempre reclamando ou se lamentando, pois ao meu ver existe um ganho segundario deste ser, que sempre mantem este comportamento ou padrão repetitivo.

bjks B...

Itamir disse...

Na minha opinião td isso, esse aprendizado faz parte da vida, e assim q deve ser,pois se nao fosse assim nao haveria nem motivos de viver,ai esta a grande dádiva da vida,encontrarmos problemas pela frente, tropeçarmos em alguns, levantarmos e assim por diante, muito legal esse tema Neto gostei demais...abraços.

Luciana disse...

Precisamos perceber que todos estamos matriculados na grande escola da vida, e como acontece nos colégios, para passar de ano/série, é preciso ter boas notas, a diferença é que na escola da vida para você passar adiante, é preciso ter nota máxima, é como você disse: "no final tudo dava certo - não focava os problemas", penso que na vida é assim, se os problemas se repetem é porquê não aprendemos a lição ou não enxergamos a solução, afinal, no final tudo dá certo, e senão deu certo é porquê não acabou ainda...bjus

ADNA disse...

O importante é a lembrança dos erros, que nos permite não cometer sempre os mesmos. O verdadeiro tesouro do homem é o tesouro dos seus erros.
Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe
e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é "muito" para ser insignificante.
neto :conheço varias pessoas que reclamam de tudo e sempre as mesmas coisas não troca o disco de maneira alguma; tem horas que até a gente se abala e fala corre que lá vem tal pessoa(risos) beijo grande , gostei muito desta postagem.

Valdecir disse...

Há muitas coisas acerca da vida que eu ainda não entendo. Uma delas é como aprender as lições que a vida oferece. Vejo pessoas que são apaixonadas por outras, são maltratadas, humilhadas, mas permanecem amando errado. Ela continuará "errando", se é esse o termo, até que... bem, até que. Talvez para sempre. Há casos em que o amor já não é a razão. Ela apanha, os filhos apanham. Está tudo errado mas ela continua morando com o sujeito. Não tem para onde ir, ou tem vergonha de voltar para outro tipo de opressão, aquela que havia quando ainda não havia saído de casa e tinha o mesmo tratamento pelos pais, ou em alguns casos, até pior.
Conheço pessoas que sofrem tentando se livrar do álcool, e outras que sequer tentam. Jorge Luís Borges escreveu que, se tivesse outra chance, de viver novamente a vida, viveria da mesma forma e cometeria os mesmos erros, só que desta vez, mais cedo. Precisamos repetir mais vezes os beijos apaixonados. Precisamos nos encontrar com os amigos queridos muitas outras vezes, repetir os mesmos momentos, viver novamente as mesmas sensações. Há, nas repetições que a vida oferece, as grandes chances de se fazer de novo tudo o que foi feito. Eu já vivi muitas paixões platônicas. Tive muitas chances de dar um passo além e não fui, mas se tivesse hoje de viver a mesma situação com a chance de mudar, não mudaria. Deixaria de novo que tudo corresse da mesma forma. E porque? Só saberia explicar isso para aqueles que gostam de bala de caramelo. Sabiam que a sensação, a lembrança da bala em si, o barulhinho que o papel faz quando se desembrulha e a levar até a boca é até melhor que o sabor da bala propriamente dito? Eu, quando criança, voltava da escola e parava na padaria para comprar dessas balas. E cada bala que eu compro hoje, inevitavelmente me fazem voltar no tempo. Eu quase vejo minhas mãos novamente pequenas, apertando as moedas e ansioso pelo momento em que seriam trocadas pelas balas. Isso poderia se repetir eternamente na minha vida, que ainda assim, eu gostaria que nunca deixasse de acontecer.

Rebeca . disse...

ADOREEEEEEEEEEEEI !!!
eu estava precisando de algo assim.