Curtir no Facebook

facebook

sábado, 19 de setembro de 2009

Confusão


Às vezes, nossa vida torna-se um turbilhão: de emoções, sentimentos, sensações. Esta confusão nos paralisa. Ela não se dissipa ou não conseguimos sair dela. Frequentemente isso acontece comigo.

Felizmente, descobri que posso sobreviver a tudo isso. Aprendi que há uma ordem que orienta.

Persevero no meu caminho alimentando minha coragem com a fé e o amor, buscando sempre o que for bom: para mim, o meu próximo, o planeta.

19 de setembro de 2009.

5 comentários:

Vera disse...

Neto, nesta semana que estamos encerrando, passei por uma destas avalanches de sentimentos perturbadores. Me senti infeliz, confusa, desanimada.
Entrava em cada dia, me arrastando como se carregasse um grande peso. Me resignei a deixar fluir todos estes sentimentos, que com certeza fui acumulando lentamente e me agarrei na certeza de que, como em outras vezes, em breve passaria. Me apeguei ao trabalho e estudos, num grande exercício de paciência. Hoje, estou aqui a lhe escrever, dando o meu testamunho de que tudo é passageiro: alegrias e tristezas. O que relmente permanece é o nosso crescimento após todas estas vivências.

Marijane disse...

Sempre que acontece esse tipo de coisa comigo, procuro "ficar quietinha" e espero o turbilhão passar...
Acredito que fazer a nossa parte, seguir adiante, sem desesperar seja um bom exercício. As atitudes tomadas durante a tempestade podem agravar ainda mais os estragos...
Beijos!

William disse...

Gosto de organizar a mente!!!!!Tenho muito esse pensamento,sou um perfeccionista gosto da hora certa agendas e de fato até meu coração tem compromisso!!!!Digo sempre a minha filha que temos hora pra tudo, então o próprio sentimento acha o seu tempo pois aprender esperar e respirar é fundamental para o desenrolar de qualquer situação.
E claro auto-estima precisa ser buscada com atividades,sonhos,música,amigos e com certeza com muita fé em "DEUS".

bexos a todos

Luciana disse...

Ultimamente nós vivemos intensamente numa correria (atrás disso, daquilo; é um problema aqui, outro acolá e, quando não damos conta dos afazeres, entramos em pane; nos esquecemos de fazer o principal (uma coisa de cada vez e, bem feita). Penso que isso acontece, porque olhamos o todo e não os detalhes; é como olhar uma grande montanha e se esquecer de que ela foi feita de milhares de grãos juntadas ao longo do tempo. Emmanuel diz: "A vida é processo de crescimento da alma ao encontro da Grandeza Divina. Aproveita as lutas e dificuldades da senda para expansão de ti mesmo, dilatando o teu círculo de relações e ação".
A vida é assim! Desesperados ou não ela continua. E se continuarmos engatinhando nas mudanças, ficaremos assustados, paralisado, pesados, tensos e com certesa perderemos a fluidez e a força para continuarmos o serviço das lições de cada dia...

ADNA disse...

Eu estou consciente e tenho o poder de pensar como eu quero. Tenho o direito de pensar no que eu quero para o meu próprio bem. Eu tenho e posso impor ao meu mundo interior tudo aquilo que eu quiser. E quero me sintonizar com o melhor. Esqueço, a partir de agora, a pessoa que eu fui, sobretudo meus vícios de pensamentos. Penso apenas na paz. Penso nela, permitindo que seu perfume toque minha aura e atinja todas as áreas da minha vida, todos os cantos do meu corpo. Penso na paz com uma mensagem de ordem e equilíbrio perfeito.
Deixo fluir na minha cabeça a consciência do 'eu posso'. Eu posso estar na paz. Impor essa paz é praticar o meu poder pessoal com responsabilidade divina, obtida por herança natural. O melhor para mim é um grande sorriso no peito. É a felicidade barata e fácil a que tenho direito. É tão simples pensar que o melhor está em mim!
beijo