Curtir no Facebook

facebook

sábado, 25 de outubro de 2008

Paixão


O mais complexo e intenso dos sentimentos é a paixão. Na verdade ela é uma mistura de todos eles.

O “Berelando...” deu certo por que era escrito com paixão. Havia sofrimento, frustrações, alívio, ansiedade, alegria, mas no final, extravasava todos estes sentimentos, transformando-se em felicidade.

Algumas vezes este sentimento pode nos frustrar, porém, não devemos desistir de buscá-lo ou corremos o risco de não viver plenamente. É a paixão que nos impulsiona a vida. Apesar da confusão de que ela é capaz de nos impor, se conseguirmos dosá-la, se conseguirmos usá-la para buscar nossas metas, ela nos transformará em pessoas melhores, ou, pelo menos nossos feitos serão melhores, porque nada grandioso foi feito sem paixão, disso eu tenho certeza.

"As paixões são como ventanias que enfurnam as velas dos navios, fazendo-os navegar; outras vezes podem fazê-los naufragar, mas se não fossem elas, não haveria viagens, nem aventuras, nem novas descobertas”.- Voltaire

25 de outubro de 2008.

8 comentários:

Rubens Alves Júnior disse...

vivo apaixonado!

Caroline disse...

Oi, Neto! Obrigada pelo comentário,concerteza você me incentivou muito a continuar escrevendo...

Vim visitar o seu e,novamente, obrigada por reparar no meu texto e por mostrar a paixão pelo viver, seja ele qual for ou o que quer que seja, bastando apenas, estar apaixonado...

:)

Ve disse...

Sou uma eterna apaixonada e não desisto nunca, sou movida por esse sentimento e sou feliz assim.Beijos
Ve

rose disse...

A paixão é ótima para sentir,porém,quando não é correspondida,é o pior dos sentimentos.Muito dolorido,devastador.Não aconselho a ninguém se apaixonar por aqueles que não irão corresponder,não presta é ruim ,atrapalha sua vida,você fica mal.Fuja,faça alguma coisa para não cair nessa história de paixão não correspondida.

Marijane disse...

Paixão... tantos são os ângulos de visualização dessa palavra, que não cabe nada em um comentário...
Neto, o ângulo abordado, na minha opinião é o mais abrangente. Legal!
beijos e boa semana!
:)

Tili Oliveira disse...

Disse muito bem, meu amigo, a paixão é a grande impulsionadora da vida, ao menos à vida humana.
Por causa dela somos capazes de tudo, inclusive de ultrapassar nossos próprios limites.
Viramos super-heróis, super-amantes, super-gênios, super-humanos...
Mas também, sem a tal dosagem de que você fala muito bem, podemos nos tornar em coisas bastante destruidoras.
A paixão pode nos levar a tal ponto de nossos limites, que somos capazes de querer tirar do alheio seu direito a também ter paixões.
E em casos extremos, por uma paixão, podemos acabar com nossas inúmeras possibilidades de nos apaixonarmos por tantas outras coisas...
Uma cega paixão pelo dinheiro, pode nos tornar super-gananciosos pelo que é de outros;
Uma louca paixão por um lugar, pode fazer de nós poderosos sanguessugas da vida que ali se permite apenas existir, mesmo sem tanta paixão;
A ferocidade de uma paixão por alguém que não nos quer, pode nos transformar em verdadeiros assassinos, não só do corpo, mas da vontade do outro de querer tanto nos amar.
E assim, seguindo este triste caminho, podemos nos quedar cada vez mais solitários...
Cada vez mais apaixonados por nós mesmos e por nossos próprios desejos.

Mas assim somos feitos: de paixão e de amor.

E na dose certa somos a verdadeira tradução da vontade Divina!

Como você mesmo diz “o amor, em sua forma mais pura, nos cura quando estamos esgotados, ele nos revigora para continuarmos nossa busca pela felicidade, o prêmio que todos nós temos direito” e daí “a paixão nos impulsiona a vida”.

adna disse...

O sono está começando a incomodar e o nó na garganta ainda continua... a sensação de "quase" é horrível! Mas continuo aqui na frente do computador, atualizando o site, por um único motivo: Acredito no nosso time e acredito no amor que cada um de nós, corinthianos, temos por ele.
Um grande abraço, e que São Jorge nos ilumine sempre!
risos e muito beijo

adna disse...

Todas as estações têm sua beleza e utilidade. Portanto, não permita que a dor de uma época destrua a alegria de outras. Como escreveu Charlie Chaplin (1889-1977): “Bom mesmo é ir à luta com determinação, abraçar a vida e viver com paixão, perder com classe e vencer com ousadia, porque o mundo pertence a quem se atreve.”
Para muita gente, o que realmente falta,*
não é a grana que tanto deseja para quitar dívidas,
nem é o grande amor que vai amparar a sua velhice,
nem é o carro novo que pode levar para qualquer lugar,
e pensando bem, nem a casa com que tanto sonha,
nem tampouco uma chácara no meio do nada...
O que realmente falta é a "paixão pela vida",*

então vamos utrapassar os nossos limites!!!!!!!!!!, parabéns neto, e obrigado por ser apaixonado tbem , assim escreve essas coisas para seus leitores